Menu

Zoravia, o filme, estreia em 28 de março em Porto Alegre, exclusivamente  nos cinemas Guion

27 MAR 2019
27 de Março de 2019

No fim dos anos 80, o diretor Henrique de Freitas Lima foi convocado pela crítica de arte e gestora cultural Evelyn Ioschpe para uma tarefa especial: integrar o projeto Arte na Escola, hoje o carro chefe entre os programas da Fundação Ioschpe, de abrangência nacional e sede em São Paulo. A ideia era promover uma forma eficiente de arte educar, por meio do uso de vídeos sobre o fazer artístico, e que pudessem ser usados em sala de aula acompanhados por materiais pedagógicos produzidos por especialistas. No período que exerceu esta função, o cineasta Henrique de Freitas Lima aperfeiçoou seu olhar e se aproximou das artes visuais e licenciou para a Fundação mais de 300 títulos, garimpados no Brasil e Exterior. Uma constatação, entretanto, ficou evidente: era insignificante a documentação dos artistas do Sul, em que pese sua importância no cenário nacional. A vontade de sanar esta lacuna ficou latente, já que a Fundação não tinha entre suas metas a produção de documentários.

 

Este foi o ponto de partida de uma série de documentários que o cineasta propõe. Em 2012 lançou Danubio, que teve o pintor e gravador Danubio Gonçalves (1925) como homenageado. Agora, chega às telonas Zoravia, integrando a série Grandes Mestres. O filme estreia na capital dia 28 de março, exclusivamente no Cinema Guion e estará nas comemorações da Semana de Porto Alegre.

 

Zoravia foi filmado em Porto Alegre e São Paulo, cidades em que a artista desenvolveu suas atividades ao longo de uma vida dedicada às artes visuais e militância por causas relacionadas à cultura, meio ambiente e direitos humanos. Participam do filme muitos nomes conhecidos das artes plásticas brasileiras, como o crítico de arte Jacob Klintowitz e a gravadora Maria Bonomi, além de uma legião de gaúchos, todos vinculados a trajetória da homenageada. Desfilam na tela nomes saudosos como a socióloga Lícia Peres e o diretor e dramaturgo Ronald Radde e também artistas em plena atividade como André Venzon, Maria Ines Rodrigues e Rosane Morais.

 

A face militante de Zoravia se revela pela voz dos companheiros de luta da Agapam – Associação Gaúcha de Proteção ao Meio Ambiente e o escritor Luis Fernando Verissimo, entre outros. Imagens cedidas pelos acervos da RBS TV e TVE dão conta da longa trajetória da artista. A família de Zoravia, especialmente a filha, a atriz e diretora Nora Prado, é responsável por alguns dos momentos mais tocantes do filme.

 

Exibido publicamente apenas uma vez, no encerramento do IX Festival Internacional de Cinema de Bagé, em 2018, que teve a artista como homenageada, o documentário foi muito bem recebido. O diretor de cinema e mestre em artes visuais Zeca Brito, organizador do evento e nome importante da nova geração do cinema brasileiro feito no Sul, afirma que Henrique de Freitas Lima fez um filme feminino, de grande emoção. O cineasta recebeu o comentário como um grande elogio, considerando que boa parte de sua obra é dedicada a temas vinculados ao mundo rural.

 

Zoravia é o sexto longa-metragem de Henrique de Freitas Lima, depois de ‘Tempo Sem Glória’ (1984), ‘Lua de Outubro’ (1997), ‘Concerto Campestre’ (2004), ‘Danubio’ (2010) e ‘Contos Gauchescos’ (2012), que vem alternando na carreira a ficção com os documentários.

 

Paralelo à carreira do filme no Guion, Zoravia exporá sua arte no lobby e café dos cinemas com foco na aquisição com condições facilitadas, grande oportunidade para quem quiser levar para casa uma obra original da artista. A Mostra ZORAVIA BETTIOL – INTERPRETAÇÕES é composta por 30 obras de sua vasta produção artística, sendo que as xilogravuras pertencem às séries Primavera, Deuses Olímpicos, Circo, Romeu e Julieta e Kafka, e as pinturas são da série Musas. O fio condutor da exposição é a figura humana abordada em diferentes situações, como em brincadeiras infantis, espetáculos circenses, cenas eróticas e ambientes kafkianos. Além disso, há as figuras míticas de Zeus, Afrodite e Apolo, e as Musas de março, abril e setembro.

 

As propostas de cada série são diferentes, mas a tônica desta mostra é a forma como a artista se expressa passando do lúdico ao dramático, pelo lírico, o poético e o crítico. A arte é um espaço de liberdade no qual o artista se manifesta criando novas realidades e é nesse mesmo espaço que o espectador pode criar novas interpretações e leituras. Todas as obras estão à venda com condições e preços acessíveis.

 

 

ZORAVIA

Estreia 28 de março no Cinema Guion

Horários: 16h25min e 19h40min na Sala 1

 

ZORAVIA BETTIOL – INTERPRETAÇÕES

Visitação: de 27 de março a 30 de abril de 2019, de segunda a domingo, das 14h  às 21h

Guion Arte/Cinemas - Shopping Nova Olaria - Rua General Lima e Silva, 776. Cidade Baixa

 

Ficha técnica

Zoravia (2018) - 52 minutos, formato HD / Produzido, escrito e dirigido por Henrique de Freitas Lima / Fotografia e câmera: Eduardo Amorim / Pesquisa e assistência de direção: Luzia Rodeghiero / Montagem: Eduardo Amorim e Fabio Lobanowski / Música: Sérgio Rojas / Edição de som: Kiko Ferraz / Finalização: Daniel Dode / Coordenação administrativa: Carmem Curval / Divulgação: Bebe Baumgarten

 

Realização da Cinematográfica Pampeana

Com apoio do SESC RS, RBS TV e TVE RS

Projeto financiado pelo FUMPROARTE da Prefeitura de Porto Alegre

 

Mais informações: www.cinematograficapampeana.com.br/zoravia/

Link do trailer: https://youtu.be/pc7zNmyhccQ

Voltar

.

Clique aqui para editar.

Tenha também o seu site. É grátis!